quarta-feira, 23 de julho de 2008

Crive

não me prive de poder desejar seu labios
nao deixe que a luz de seus olhos se apaguem
nao me prive de poder comtemplar suas palavras
não crive em meu peito as duras palavras
nao deixe-me aqui sozinho
nao va embora sem ouvir minha palavras
não faça de meu amor futil
nao deixe de me amar
nao queira que eu morra sem ter tido vc

deixe ao menos eu poder te observar
comtemplar sua beleza
ouvir suas doces palavras
leve-me com vc para onde vc for
crive em meu peito o seu peito
faça de meu amor um aviso
e dos campos de morango lagrimas
que caiste de meus olhos
quando as luzes do seus
foram para outros
quando viste q perdi seu amor

não dei-me aki sem seus olhos
nao dei-me aki sem suas palavras
quero ao menos poder te ver
mesmo sabendo q estais em outros braços
quero
quero te ver
quero te ter
quero viver
quero te desejar
so nao quero te perder
so quero te ter
não quero palavras
quero seu amor
quero seus labios em meus labios

se for embora
leve meu amor com vc
e nunca esqueca que
talvez fui o unico que te amei
que com todo meu coração
doei
q com todo meu respeito te desejei
mas se queres outros braços
va
va e nao volte mais
deixe-me aqui
deixe-me morrer
deixe-me afogar
mas nao trague estes olhos
deixe-me largado
q morrei sabendo q fui o unico
e o ultimo q te amou

e deixe que eu morra
para me livrar
desta maldição de te amar

13:47 23/7/2008 FF

2 comentários:

Michael disse...

Ooo pia! Poema massa! :D~

Frederik Francis disse...

VAleu mich