terça-feira, 27 de outubro de 2009

Caixa de papelão

Abro minha caixa de papelão
onde veio um tenis que me levou
pelos seus caminhos
nela guardo o meu passado

que fica guardada em meu guarda-roupa
é tão bom ver como foram as coisas
naquele tempo tão bom
sem os medos de hoje
sem saber como as coisas terminariam

você me pedia uma barra de chocolate
eu te dava um sapo de pelucia
Você me dava o céu
eu tentava lhe dar o paraíso

E é tão bom dar uma olhada no passado
Ver você loira, linda
e agora nesse presente, que não é um presente
fico sem saber como é agora
fico sem saber como está
quem é

se ainda é loira
se ainda pensa em mim
fico aqui revirando o passado
olhando um foto sua
a única que restou

lendo as coisas loucas que escreviamos
um para o outro
e no caminho que faço a 5 anos
você que tinha quebrado minha rotina
faz ela voltar implacavelmente

E um dia você me disse:
"'Cause I'll just make the same mistake again."
e partiu
e eu fico revirando o passado
para ver se encontro você

FF

01:59 27/10/2009

3 comentários:

preta disse...

hhuummm... fiquei desenhando esta loira... sb q costumo visualizar.
o passado, às vezes, nos traz presentes.

Schermak, Anna disse...

Eric mais um texto lindo como sempre *-*

Michael disse...

Ééé, o passado. Ele só está lá para nos nostalgiar.